Se você está querendo um roteiro para apreciar os grafites do centro de SP, está no local certo. A região central de São Paulo conta com uma grande variedade de grafites que com toda certeza você deve visitar.

No conteúdo que preparamos, você pode montar o caminho que preferir para conferir todos eles, seja caminhando ou de bike. Para te ajudar a conhecer cada um deles, vamos falar também um pouco sobre os artistas responsáveis, sobre o Projeto MAR e sobre o NaLata Festival Internacional de Arte Urbana.

Você pode conferir tudo isso lendo até o final o conteúdo que preparamos para te ajudar a curtir o que a cidade de São Paulo tem a oferecer de melhor em arte de rua.

A importância dos grafites do centro de SP

Mural da artista Hanna Lucatelli no Minhocão - Foto: Wesley Yamaguchi

A importância do grafite na cidade de São Paulo é tão grande que a cidade ganhou reconhecimento como a capital mundial do grafite.

Tudo começou com o gravurista Alex Vallauri que fazia retratos das pessoas no Porto de Santos. Na década de 1980, Vallauri fez sua obra “A bota preta”, que foi reproduzida pelos prédios da cidade de São Paulo de forma totalmente anônima.

Na mesma época, o artista enviava cartões postais para seus amigos contendo um carimbo de bota de salto alto sobre os edifícios históricos da cidade. Como parte de uma brincadeira, o artista escrevia frases sobre como a tal da bota preta estava dominando a cidade.

O dia 27 de março se tornou Dia do Grafite, para homenagear o precursor do que se tornaria uma forma de arte tão importante na cidade de São Paulo.

O que antes era considerado um crime, o grafite se tornou uma arte com reconhecimento nacional e internacional. Os muros e paredes antes cinzentos se tornaram verdadeiras obras de arte pelas mãos dos artistas que colorem a cidade.

Projeto MAR

Grafite de Crica Monteiro, parte do projeto MAR - Foto: Wesley Yamaguchi

O MAR (Museu de Arte de Rua) é um projeto realizado pela prefeitura da cidade de São Paulo. O MAR é uma parceria da prefeitura com as secretarias municipais de Cultura, Educação e com ajuda da Secretaria de Subprefeituras.

O projeto visa ampliar o impacto positivo dessa arte na vida da população de forma a tornar o grafite uma parte da cultura e da identidade da cidade. Com obras de vários artistas, o grande museu a céu aberto espalha a arte de rua em todas as 5 macrorregiões da cidade.

Com sua grande abrangência, vários nomes famosos já passaram pelo projeto como Mundano, Speto, Veracidade, Verena Smit e Robinho Santana. Em 2019, foram criadas mais de 30 novas obras que abrangem: grafite, stencil e fotografia.

Na edição do MAR de 2020, o evento contou com 40 novas artes de rua espalhadas pela cidade.

Roteiro para conferir os melhores grafites do centro de SP

Se você quer um roteiro para conferir os melhores grafites que fazem parte do projeto MAR  é só conferir as dicas que preparamos para você. É só pegar uma garrafinha de água, colocar um tênis e caminhar pelas ruas para poder ver todas essas obras de arte de rua.

Roteiro dos grafites do projeto MAR

Por ser um projeto que abrange toda a cidade de São Paulo, separamos um roteiro só com os grafites que ficam próximos à região central. Para conferir esse roteiro você só precisa ir para a região do MASP:

  • Na Rua Augusta, 1059, você confere o grafite do artista Bueno Caos “Augusta Graças a Deus” em homenagem à uma das ruas mais boêmias da cidade.
  • Na Rua da Consolação, 2223, o artista Mauro Neri demonstra em sua obra a importância da vida em uma clara homenagem às mulheres que lutaram pela igualdade como Marielle Franco e Ângela Davis.
  • Na Rua Caio Prado, 30, o artista Cadumen queria motivar as pessoas a serem otimistas com o fim da pandemia por meio da sua obra “A Cura”.
  • Na Avenida Nove de Julho, 451, o artista Robinho Santana enfatiza a importância da paternidade por meio da obra Diálogos sobre paternidade negra.

Roteiro dos grafites Aquário Urbano

Próximo ao edifício Copan no centro de São Paulo há o chamado Aquário Urbano, idealizado pelo artista Felipe Yung, o Flip. Uma parceria com o produtor cultural Kleber Pagú, a ideia é transformar o centro de São Paulo em um museu a céu aberto.

O projeto ambicioso, apesar de ainda incompleto, quer concorrer no livro dos recordes na categoria de maior mural do mundo. Completo, o mural vai ter mais de 10 mil² de pintura. 

Para conhecer esse ambicioso projeto você precisa ir até os arredores do edifício Copan. São 15 edifícios nas ruas Major Sertório e Bento de Freitas que estão em fase de se tornar o maior mural do mundo.

Além disso, aos fins de semana, os entusiastas se reúnem no cruzamento das ruas (de onde é possível ter uma visão ampla de todo o mural) para conversar sobre a importância da arte.

Roteiro para conferir outros grafites no centro de São Paulo

Além do Aquário Urbano, o centro possui outros grafites de destaque que você merece conferir, como:

  • Na Rua XV de Novembro, 33, a artista Hanna Lucatelli mostra a matriarca do povo brasileiro. A mensagem no topo do mural “Amai-vos” é um lembrete importante para conscientizar sobre a importância dos povos indígenas para a história do Brasil.
  • Na Av. Brigadeiro Luís Antônio, 52, o painel “Eu Resisto” da artista Mag Magrela traz uma reflexão sobre a importância do feminismo.
  • Na Av. Brigadeiro Luís Antônio, 1622, o artista Celso Gitahy assina seu mais novo mural “TVnauta no Deserto”
  • Na Rua da Consolação, 927, o artista Thales Fernando, conhecido como Pomb, traz sua obra cheia de cores vibrantes que mostra um homem com cabeça de balão.

Agora você já sabe um pouco mais sobre a importância do grafite e tem um roteiro pronto pela região central de São Paulo. Então é só escolher o melhor caminho e conferir todos eles.

Quer mais dicas de roteiros para aproveitar o centro? Da uma olhada no nosso blog!