São muitos os fatores a serem avaliados na hora de escolher o tipo de imóvel para morar e o apartamento tem se mostrado a escolha que mais cresce entre a população brasileira. Os benefícios de morar em apartamento são muitos, praticidade, economia e viver com segurança estão entre os principais.

 

Esse tipo de moradia tem aumentado principalmente nas áreas urbanas, onde vivem cerca de 85% dos brasileiros. O constante crescimento da população e, consequentemente, das cidades, cria também a necessidade de aumentar a oferta de habitação.

 

Os apartamentos contribuem para o aumento da densidade urbana e reduzem a necessidade de investimentos em infraestrutura, por parte do poder público, além de facilitar o acesso a serviços públicos, motivos que atraem mais investimentos para construção desses empreendimentos.

 

Mais apartamentos do que casas

 

A cidade de São Paulo, por exemplo, registrou em 2021, pela primeira vez, mais residências em prédios do que em casas, de acordo com levantamento do Centro de Estudos da Metrópole (CEM), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Cepid-Fapesp).

 

O estudo considerou dados obtidos entre os anos 2000 e 2020 e utilizou informações usadas pela Secretaria da Fazenda da Prefeitura da capital paulista para o lançamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), chegando a mais de 60 milhões de imóveis residenciais.

 

O levantamento apontou que, nos últimos 20 anos, os imóveis residenciais verticais, os apartamentos, saltaram de 767 mil unidades, em 2000, para 1,38 milhão, em 2020. Um crescimento de quase 40% se considerado o número de área residencial.

Outro dado, esse do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo (Secovi-SP), apontou que a participação de apartamentos de até 45m² no total de apartamentos vendidos na cidade de São Paulo subiu de 11% para 57% entre 2011 e 2019.

O aumento dessa demanda reflete fatores econômicos, comportamentais e sociodemográficos, que resultaram nesse crescimento da procura por imóveis residenciais verticais e que prometem continuar definindo o cenário do mercado imobiliário brasileiro.

 

Porque morar em apartamento

 

Economia: Seja para comprar ou alugar, o apartamento é uma opção muitas vezes mais econômica não só financeiramente, mas também na relação custo-benefício.

 

Os valores variam de acordo com a localização, tamanho do imóvel e infraestrutura do edifício, claro, mas, ainda assim, costumam valer muito mais o investimento.

 

Em comparação com uma casa, por exemplo, os gastos são menores e o morador não tem tantos custos de serviços que todo imóvel demanda, como de limpeza e manutenção, visto que as despesas do condomínio são divididas entre os moradores.

 

Além disso, esses custos geralmente são pagos com os recursos arrecadados com o pagamento da taxa condominial, sem cobrança adicional.

 

Em uma casa, cabe ao morador pagar a despesa do serviço independente do custo e valor cobrado pelo prestador, por exemplo.

 

Também em uma casa o morador pode ser pego se surpresa com alguma despesa de manutenção inesperada. Algo menos provável de acontecer em um condomínio, que já dispõe de recursos para esse tipo de despesa. 

 

Outro exemplo é que morando em um apartamento também não há gastos individuais com jardineiros e faxineiros para a área externa, esses serviços também estão incluídos na taxa condominial, divididos de forma proporcional ao número de condôminos.

 

Segurança: Com a violência cada vez maior, principalmente nas áreas urbanas, viver com segurança é um dos critérios mais procurados na hora de se escolher uma moradia e um apartamento é um dos tipos de imóveis que melhor pode garantir isso.

 

Um estudo realizado pela empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo Hibou, em 2021, apontou que segurança é um quesito importante para 75% dos entrevistados sobre o desejo para suas futuras residências.

Muitos dos condomínios são protegidos por muros altos, cercas elétricas, portões eletrônicos e sistema de câmeras de segurança que garantem o monitoramento das áreas internas e externas do local.

Além de muitos estarem equipados com uma portaria que funciona 24 horas, que controlam o acesso de veículos ao local e de pessoas, impedindo a entrada de vendedores e estranhos, permitindo que cada morador possa viver com segurança.

O visitante só pode adentrar as dependências do condomínio com permissão do morador, algo que pode inibir também alguma visita indesejada

Outro aspecto positivo do apartamento é que se o morador passa muito tempo fora de casa ou viaja com certa frequência, não precisa se preocupar com uma invasão de domicílio. 

Essa segurança também é confortável para aqueles que moram sozinhos e têm medo de que alguém possa invadir seu imóvel, por exemplo.

Praticidade: Além de viver com segurança, morar em apartamento é muito prático. Isso ocorre por vários motivos, dentre eles a facilidade para organização, manutenção e limpeza. Esses aspectos estão diretamente ligados ao tamanho do imóvel.

Geralmente menor do que uma casa, o apartamento é mais prático de se mobiliar e organizar, além de, claro, ser fácil de limpar, demandando menos tempo do morador.

Sobre a mobília, por exemplo, o objetivo não é apenas decorar e preencher espaços, mas aproveitar esses espaços de forma prática, para que sejam utilizados da melhor forma no dia a dia.

Uma casa requer mais tempo para limpeza devido às áreas externas, que em um apartamento são de responsabilidade do condomínio.

Em apartamentos há também menos problemas com encanamento e fiação. E, muitas vezes, se surgirem, esses problemas são resolvidos pelo próprio condomínio.

Outro ponto positivo é, novamente, a portaria 24h, porque ela também recebe encomendas e correspondências dos moradores, o que pode ser de grande ajuda quando uma delas requer uma assinatura para ser entregue e o morador fica muito tempo fora de casa ou está viajando. Nesses casos, o porteiro pode receber e entregar ao morador depois. 

Comodidades: Muitos condomínios possuem comodidades, opções de lazer, como quadras para prática de esportes, piscina, playground, espaços para reuniões e eventos equipados com as utilidades necessárias, como mesas, cadeiras, freezer e churrasqueira.

 

Alguns possuem até salas de vídeo, academia, mercadinhos, lojas, salões de beleza e até spa. Tornando mais econômica e prática a vida dos moradores.

 

Os moradores não precisam se preocupar com a limpeza ou manutenção dessas áreas, que são de responsabilidade do condomínio e já estão inclusas na taxa condominial.

 

Na área de eventos os moradores podem realizar festas e confraternizações, economizando com o aluguel de locais externos.

 

Além de comodidade, o espaço para crianças proporciona também segurança, porque muitos pais não se sentem seguros de deixar os filhos brincarem fora de casa, mas em um condomínio eles podem brincar e interagir com outras crianças que moram no local.

 

E o melhor: com a certeza de que os espaços utilizados pelos filhos estão sendo cuidados, com limpeza e manutenção em dia, que é uma das atribuições do condomínio.

 

A piscina, se comparada a uma em casa, também representa, além de uma comodidade, uma economia, porque nesse caso o morador divide as despesas de manutenção e limpeza com os demais moradores do condomínio. 

 

Muitos moradores também aproveitam o espaço seguro dentro do condomínio para prática de exercícios físicos, como caminhada e corrida.

Convivência com os vizinhos: Morar em apartamento pode proporcionar uma convivência mais próxima com outros moradores. Isso tem seu lado positivo, como quando um precisa de ajuda ou para conseguir objetivos em comum relacionados ao condomínio, por exemplo.

Isso porque os moradores podem ter sugestões e/ou reclamações sobre o condomínio e querer propô-las aos demais. Ter um ou mais aliado que compartilhe do seu mesmo ponto de vista pode auxiliar a conseguir o que se quer.

Para quem tem filhos já mencionamos a possibilidade da criança poder brincar com outras que moram no condomínio. Isso pode também resultar em uma amizade entre os pais, que podem ajudar um ao outro em um momento de necessidade, como cuidar do filho do vizinho durante uma saída, por exemplo.

Às vezes, os moradores têm destinos semelhantes para o trabalho, escola ou faculdade e podem combinar caronas. Em caso de viagem, para quem tem plantas e/ou animal de estimação em casa, pode pedir que o vizinho cuide das suas plantas e/ou do seu pet durante sua ausência.

Regras de convivência: Essa proximidade com os vizinhos pode ser vista muitas vezes como um incômodo. Tende-se a achar que a convivência em condomínios é barulhenta devido ao número de moradores dividindo o mesmo espaço, mas é por isso que os condomínios têm regras para garantir que todos vivam de forma agradável, sem incomodar os demais.

Em casas, por exemplo, as diferenças entre vizinhos podem terminar em longas desavenças e, em casos mais graves, até mesmo em processos judiciais.

Algo menos provável de ocorrer em um condomínio, onde os moradores devem seguir as regras de convivência já estipuladas.

Para gerir toda a dinâmica do condomínio e garantir que as regras sejam cumpridas existe a figura do síndico, que pode exercer o papel de mediador entre os moradores, assegurando que eles se entendam de acordo com as normas de convivência estipuladas.

No caso de descumprimento das regras, há uma série de medidas, como multa, que podem ser adotadas pelo síndico para certificar que as condutas determinadas pelo condomínio sejam seguidas.

 

Gostou de saber dos benefícios de viver em apartamento. Poder viver com segurança e praticidade é essencial né? Caso queira saber de outros temas é só acessar o nosso blog! Falamos de cultura, arquitetura, aluguel e muito mais.